terça-feira, 11 de março de 2014

A série que me fez tirar o chapéu a um texano tocador de bongos

Não sei quando vai chegar a Portugal, nem com que nome virá, mas sei que quando chegar é uma série que não vão querer perder. O nome original é True Detective e o último episódio da primeira série passou nos Estados Unidos, na HBO, no Domingo. É a melhor série do tipo detetives-machões-à-procura-de-um serial-killer que vi nos últimos tempos. Mas sobretudo, é muito mais que isso.

A história é boa, os desempenhos são fantásticos, a estética (perdoem-me os entendidos na matéria, mas é a palavra que ocorre a esta leiga) é excelente, a realização, a fotografia, os diálogos, a música - enfim, tudo. Até os vilões.

Tranquilizem, não vos vou estragar o final.

Foi de tal forma surpreendente, que passei a respeitar o Matthew McConaughey - ator. Sempre o achei um tipo de águas calmas, bom para comédias românticas, filmes de ação e pouco mais. Nas (poucas) entrevistas que vi ou que li, adivinhava sempre um homem vaidoso com um crânio mais para o vazio. Para mim, McConaughey traduzia-se em jogging sem t-shirt (o que fazia com frequência e cujas imagens não demoravam a invadir as revistas cor-de-rosa) e um episódio em que a polícia foi chamada a casa dele porque o tipo andava a tocar bongos no jardim. Nu.

Depois destes oito episódios, não acho o mesmo. E eu já tinha visto o Dallas Buyer's Club (para quem não viu, o trailer está aqui e foi o filme que lhe valeu o Oscar de Melhor Ator este ano). Achei que, sim, que era uma interpretação de peso, mas sacudi para uma coisa esporádica. Uma inspiração de uma só vez.

Mudei de ideias. No True Detective, ele fez-me acreditar que era o Rustin "Rust" Cohle.


Um detetive texano com uma história familiar trágica e um problema de álcool. Um tipo inteligente e cheio de camadas que vemos evoluir, em várias direções, nesta história que se passa ao longo de dezassete anos. Só gostaria que o inglês dele não fosse tão serrado. Para quem vê/vai ver sem legendas, mesmo habituado a estas lides, como eu, poderá encontrar diálogos em que será preciso voltar atrás. Com o volume mais alto. Vale a pena. Os diálogos são excelentes.

E são-no sobretudo entre o Rust e o Marty.

O Marty, ou Martin Hart, é o outro detetive e é interpretado pelo Woody Harrelson. Sou fã desde o Cheers - obviamente que num registo muito diferente - mas o Woody não desilude e, de novo, estamos todos no enredo a achar que sim, que aquele tipo mulherengo e bonacheirão existe mesmo, conseguirá ultrapassar os seus defeitos e apanhar o seu homem. 


Duas personagens muito diferentes. Que se complementam, que retiram o pior e o melhor uma da outra, que levam a história de forma sublime e nos fazem desejar que o próximo episódio chegue logo logo a seguir. Para terem uma ideia, o Diário de Notícias dizia ontem que “o número de pessoas que quis assistir ao último episódio de True Detective (…) foi de tal forma elevado que a HBO GO, a plataforma online de streaming da estação norte-americana, foi abaixo”.

Mas atenção: esta é uma série pesada. O crime à volta do qual a história gira é muito violento. Há vilões muito vilões. Portanto não agradará a todos. Mas por outro, o Breaking Bad também não tinha pardais a chilrear no bosque, e eu bebi as cinco temporadas como se fossem água e eu estivesse perdida no deserto há quatro dias.

Há muito mais que poderia dizer. Mas deixo para se deslumbrarem quando cá chegar. Por agora fiquem com um dos trailers e com a música do genérico.




Curiosos? Vão adorar!




8 comentários:

  1. Cheira-me que eu e a T. vamos passar uns serões animados a ver essa série. Olá se me cheira. E agora eu pergunto... HÁ GAJAS? É que ela vai limpar a ramelinha com o Matt e o Woody... E eu? Alguma coisa para alegrar a vista?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Garanto que ficarás igualmente satisfeito.

      Eliminar
  2. o meu ponto de mudança com o matthew até foi o stripper do magic mike. consegui acreditar que ele era bem mais do que aqueles abdominais... agora com o filme e com esta série, tá feito!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não vi o Magic Mike. Reservo-me o direito de nunca ver homens musculados a dançar em tanga.

      Eliminar
  3. Bons actores e muito bom aspecto...vou já espreitar onde posso ver essa série para ontem. Adoro policiais =D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vais adorar e ver de um fôlego só!

      Eliminar
  4. Anónimo16:47

    Lamento desiludir na minha primeira investida neste blogue. Mas o McConaughey já não irá entrar na segunda temporada. Li, salvo erro, no DN.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho a mesma informação. Serão histórias e elenco diferentes. Aguardemos. E seja bem-vindo.

      Eliminar

Sonhos